Lisboa


Lisboa é uma cidade iluminada. O Tejo e o Sol, quase sempre presente, fazem da capital portuguesa um espelho de cor, em que a beleza e singularidade arquitectónica não passam despercebidas. Em Lisboa, há sempre tanto para ver e fazer, abrindo a cada visitante um mundo de possibilidades para as mais variadas experiências

Parque das Nações 

O Parque das Nações é hoje um espaço vivo, dinâmico e multifuncional. É a marca da Lisboa contemporânea, um local onde os lisboetas se divertem, apreciam espectáculos, passeiam, praticam desporto, fazem compras, trabalham e vivem, com qualidade e em harmonia.


O Parque das Nações compreende a área onde se realizou a Exposição Mundial de 1998. Trata-se de um grande espaço público que juntou a cidade e o rio e que aproveitou, na perfeição, uma vasta frente ribeirinha com uma vista magnífica sobre a outra margem do rio e a Ponte Vasco da Gama, a ponte mais longa da Europa. Inaugurada também em 1998, por ocasião da exposição mundial, trata-se da quinta ponte mais extensa do mundo, com 17 km de comprimento, dos quais 10 estão sobre as águas do Tejo.

                                                                               Centro Histórico

Situados na sua maior parte no centro de Lisboa, os bairros históricos são destino obrigatório para quem se desloque à capital de Portugal. Pela cultura, pela história, pela arquitetura, pelas pessoas ou simplesmente para passear descontraidamente, é imperativo descobri-los. Fazendo parte estrutural da identidade lisboeta, estes bairros proporcionam, a quem os descobre, traçar um verdadeiro mapa pessoal. As possibilidades são imensas. Não as deixe de lado.


  Bairro Alto

O Bairro Alto é um dos bairros mais paradigmáticos e atraentes para viver a cidade. Típico e popular, o Bairro Alto possui imensos rasgos de modernidade, com lojas de roupa e de design e bares, muito bares. O encontro de pessoas, num ambiente ecléctico e multicultural, é uma das boas razões para passear pelo bairro. Calcá-lo, descobrir todas as ruas, as ruelas e os becos, é imprescindível. Bons restaurantes lado a lado com livrarias intimistas, em que sempre acontecem coisas, casas de chá emparelhadas com lojas de design e lojas de roupa de alguns dos mais conceituados artistas portugueses. É um bairro apaixonante, cheio de atracções, combinando arrojo e sofisticação com tradição e antiguidade. Passear no Bairro Alto é diferente de qualquer outro ponto da cidade.
Chiado 

Depois do Bairro Alto, desça pelo Chiado, onde encontrará um ambiente ainda mais sofisticado. Ponto de encontro de jovens, artistas e intelectuais, o Chiado é a zona dos cafés emblemáticos, como “A Brasileira”, das escolas de arte, dos teatros e da história viva. Para além da beleza do local, são as pessoas que o fazem, com a sua atividade e atitude positiva.
Carmo

A zona do Carmo, vizinha do Chiado, tem alguns pontos fascinantes da história da cidade, como o Convento e a Igreja do Carmo, que mantém a elegância e a imponência. Aí poderá visitar as ruínas, mas também o Museu Arqueológico do Carmo, que inclui um espólio de peças pré-históricas, romanas, medievais, manuelinas, renascentistas e barrocas. O Largo do Carmo é também um local emblemático da história nacional recente, tendo sido palco privilegiado da revolução dos cravos, em 25 de Abril de 1974.
Castelo de São Jorge

Declarado Monumento Nacional em 1910, pouco antes da implantação da República, o Castelo de São Jorge ergue-se na mais alta colina de Lisboa. O Castelo sofreu importantes intervenções de restauro na década de 1940 e no final da década de 1990, que tiveram o mérito de reabilitar o monumento, actualmente um dos locais mais visitados pelo turista na cidade de Lisboa.

Largo do Chão da Feira ( 1100-129 Lisboa ) 

Tel.218 800 620 


 Torre de Belém

A Torre de Belém foi construída na era das Descobertas (quando a defensa da cidade era de extrema importância) em homenagem ao santo padroeiro da cidade, São Vicente.Este monumento está repleto de decoração Manuelina que simboliza o poder do rei: calabres que envolvem o edifício, rematando-o com elegantes nós, esferas armilares, cruzes da Ordem Militar de Cristo e elementos naturalistas.

Durante os séculos que se seguiram, desempenhou funções de controle aduaneiro, de telégrafo e até de farol.

Foi também prisão política, viu os seus armazéns transformados em masmorras, a partir da ocupação filipina (1580) e em períodos de instabilidade política. Finalmente, em 1983 a UNESCO classificou-a Património Cultural de Toda a Humanidade. 

 Padrão dos Descobrimentos

O monumento apresenta o formato de uma caravela, ladeada inferiormente por duas rampas que se reúnem na proa e onde se destaca, com 9 metros de altura, a figura do Infante D. Henrique. Ao longo das rampas encontram-se 16 figuras de cada lado, esculpidas com equilíbrio e rigor, onde o dinamismo e o movimento dos corpos se projectam no sentido do rio Tejo, e que representam uma síntese histórica de vultos ligados directa ou indirectamente aos Descobrimentos.

Decoração do terreiro de acesso ao monumento: Rosa-dos-Ventos (foto abaixo).


A República da África do Sul ofereceu para decoração do terreiro de acesso, uma Rosa-dos-Ventos com 50 metros de diâmetro, executada em mármores de vários tipos, contendo um planisfério de 14 metros. Naus e caravelas embutidas marcam as principais rotas dos Descobrimentos Portugueses. A autoria do desenho pertence ao Arq. Cristino da Silva.

  
   Mosteiro dos Jerónimos                                                                           

O Mosteiro dos Jerónimos é frequentemente conhecido como a ‘jóia’ do estilo Manuelino. Este estilo combina elementos arquitetónicos dos períodos Gótico e Renascentista, juntando-os a uma simbologia real e naturalista, que o tornam verdadeiramente único.Em 1496, o rei D. Manuel I pediu à Santa Sé autorização para construir um grande mosteiro à entrada de Lisboa, perto das margens do rio Tejo. As obras começaram em 1501 e só terminaram quase um século depois. D. Manuel I e os seus descendentes foram enterrados em túmulos de mármore situados na capela-mor da Igreja e capelas laterais do transepto.


 Hard Rock Café Lisboa

O antigo Cinema Condes, em pleno centro da capital, nos Restauradores, foi o local escolhido para a instalação de uma das mais conhecidas cadeias de restauração em todo o mundo. Ligado à temática do rock, o Hard Rock Café é um conceito que ao serviço de restauração e bar, alia um forte merchandising de produtos da marca, nomeadamente as famosas t-shirts.

Avenida da Liberdade 2

Lisboa

1250-144 LISBOA

A Severa 

É uma das mais procuradas casas de fados da capital. Está decorada com azulejos e quadros alusivos a paisagens de Lisboa antiga e serve a boa e tradicional cozinha portuguesa. Boa garrafeira. Aos almoços não há espectáculos de fado apenas no jantar!

 Rua das Gáveas 51

1149 Lisboa, Portugal

213 428 314

Portugalia Cervejaria e Restaurante

A história da Portugália é indissociável da história da cerveja em Portugal.

Em 1925, a Fábrica da cerveja Germânia nasceu aqui com o propósito de produzir cerveja ao nível das melhores do mundo. Com a 1° Guerra Mundial, na qual Portugal alinhou pelos Aliados, o sentimento anti-germânico levou a uma inteligente medida de marketing e a fábrica passou a chamar-se Companhia Produtora de Malte e Cerveja Portugália S.A. Em 10 de junho de 1925, nasceu a cervejaria anexa a distribuidora de cerveja. E com ela vieram os maríscos e os famosos bifes. Essa da foto fica bem ao lado ao Monumento do Descobrimento… mas a cervejaria existe em vários lugares em Lisboa… Durante o dia almoce com uma linda vista para o Tejo!
  

 Confeitaria Nacional
Casa de grande história e tradição, fundada em 1829, a Confeitaria Nacional é um verdadeiro ex-libris lisboeta, situada na Praça da Figueira e sempre na posse da mesma família, tem sabido manter inalterada a qualidade e a personalidade que lhe valeram amplo reconhecimento; prémios em exposições internacionais e uma clientela fiel e dedicada.

Praça da Figueira 18                  

Lisboa

1100-241 LISBOA            


   
Fabrica de pasteis de Belém  

Passar por Lisboa é sem dúvida sinónimo de passar pelos famosos pastéis de Belém feitos na fábrica original, situada em Belém. A dica é depois de visitar o Mosteiro dos Jerônimos, caminhar um pouco pelas ruas de Belém e parar para um lanche nessa tradicional ” Pastelaria”… 

Rua de Belem, 84 84

1300-085 Lisboa, Portugal

 

Anúncios